segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

MOREIRA FRANCO



ARTIGO DE AUGUSTO NUNES

Nascido em Niterói, Ernâni do Amaral Peixoto começou a subir na vida quando trocou o posto de ajudante-de-ordens do presidente da República pelo ofício de genro de Getúlio Vargas. Sem saber direito a diferença entre a proa e a popa, foi promovido a almirante. 

Em 1937, o noivo de Alzirinha ganhou do futuro sogro o cargo de interventor federal no Estado do Rio de Janeiro (e ganhou do povo o apelido de Alzirão). Até morrer no fim dos anos 80, Amaral Peixoto seria deputado federal, senador e um dos mais poderosos dirigentes partidários da história política brasileira.

Piauiense de Teresina, Wellington Moreira Franco começou a subir na vida quando deixou de ser só mais um na multidão de jovens políticos ambiciosos para assumir o emprego de genro de Amaral Peixoto. 

Sempre monitorado pelo sogro, foi sucessivamente eleito deputado federal, prefeito de Niterói e governador do Rio. Só em 1989, quando chegaram simultaneamente ao fim a agonia do patriarca e o casamento com Celina Vargas do Amaral Peixoto, Moreira Franco passou a perseguir caminhos próprios. Nenhum deles logrou resgatá-lo dos papéis de coadjuvante.

Depois da vitória de Leonel Brizola na sucessão de Moreira Franco, ganhou do adversário impiedoso o apelido de Angorá. O achado fez tanto sucesso que foi mantido pelos executivos da Odebrecht encarregados de identificar com codinomes os fregueses do departamento de propinas desmontado pela Lava Jato. 

Angorá é mais criativo que Botafogo, como é conhecido nos porões da empreiteira o deputado Rodrigo Maia, genro de Moreira Franco. Nascido no Chile, onde o pai vivia exilado, o botafoguense militante começou a carreira de caçador de votos no colo do hoje vereador César Maia. Mas está na presidência da Câmara também por ter Moreira Franco como sogro.

Essa frondosa árvore genealógica, plantada há mais de cem anos, rende frutos altamente lucrativos desde a ascensão política do almirante que não comandou sequer uma canoa. Mas já foi condenada à morte pelo Brasil da Lava Jato. A galharia atulhada de sogros, genros e agregados será triturada pelas motosserras tripuladas por informantes da Odebrecht.

sábado, 7 de janeiro de 2017

FIDEL CASTRO


1. Data de nascimento

Oficialmente, Fidel nasceu em 1926. Mas pesquisadores dizem que ele veio ao mundo um ano depois, em 1927.
Mario Beira, autor do livro Fidel Castro Ruz: Um Estudo Psicanalítico, é um dos que argumentam que o pai de Fidel, Ángel Castro, mudou sua data de nascimento para que o menino pudesse pular do terceiro para o quinto ano e, com isso, cursar uma escola secundária.
Outros sustentam essa teoria com declarações que a mãe do líder cubano, Lina Ruz, e seus irmãos deram à imprensa estatal nos primeiros anos da revolução, assim como dados recolhidos pelos primeiros biógrafos locais.
Em 1977, a jornalista americana Barbara Walters perguntou a Fidel em que ano ele havia nascido.
"Fico com a data menos favorável", respondeu o líder cubano.
2. Nome 

Oficialmente, seu nome era Fidel Alejandro. Mas quem teve acesso às suas certidões de nascimento ─ que são várias, devido à condição original de filho ilegítimo, posteriormente regularizada ─ assegura que ele teve outros nomes.
A historiadora brasileira Cláudia Furiati foi a primeira a documentar o assunto. No livro "Fidel Castro: A História me Absolverà", publicado em 2003, ela diz que, em sua certidão de batismo de 1935, Fidel está registrado como Fidel Hipólito Ruz González.Já a de 1938, consta outro nome: Fidel Casiano Ruz González.
E, finalmente, em 1941, quando foi reconhecido, o líder cubano passa a se chamar Fidel Alejandro Castro Ruz, nome pelo qual ficou conhecido até hoje.
Sobre o assunto, Fidel disse apenas que "em 13 de agosto [dia de seu aniversário] é o dia de São Hipólito Casiano, mas me deram o nome de Fidel por causa do homem que ia ser meu padrinho".
3. 'Fortaleza'

"Punto Cero" é o nome que os serviços de inteligência cubanos dão a Jaimanitas, como é chamada a residência de Fidel em Havana, por décadas cercada de mistério.
A primeira vez que o público viu registros do interior da casa foi em 2001, quando Dashiel Torralba, ex-namorada de um dos filhos do líder cubano, fugiu de Cuba e entregou um vídeo caseiro à rede de TV americana Univisión.
Situada em um subúrbio de Havana, em uma área onde antes se localizava um campo de golfe, trata-se de uma construção em forma de ferradura, ao redor de uma piscina.
O vídeo de Torralba mostra um longo corredor exterior, um amplo jardim com alguns brinquedos, uma cozinha com revestimento de aço inoxidável e uma mesa de jantar com oito cadeiras e uma TV, sem muitos luxos.
Na ocasião, o então vice-presidente, Carlos Lage, classificou a exibição do vídeo como uma "baixeza repugnante". Mas depois que Fidel deixou o poder, em 2008, os controles foram relaxados e algumas personalidades ganharam acesso à residência do líder cubano.
Em janeiro de 2014, por ocasião da cúpula da CELAC (Comunidade de Estados Latino-

Americanos e Caribenhos) realizada em Havana, vários presidentes visitaram Fidel em sua casa. As fotos distribuídas por agências de notícias mostravam o líder cubano e seus convidados na varanda com cadeiras de balanço de vime simples.
Uma reportagem do jornal britânico "The Guardian" acrescenta que a "casa modesta" conta com dois andares e quatro quartos, enquanto que o diário Telegraph, também do Reino Unido, a descreve como uma construção "bem equipada" que constrasta com "a imagem de austeridade exigida dos ministros cubanos".
4. Fortuna 

O patrimônio de Fidel é um assunto espinhoso, que divide correligionários e detratores.
A revista americana "Forbes" passou a incluí-lo em sua lista de mais ricos a partir de 1997. Em 2006, último ano em que figura na compilação, o líder cubano aparece com uma fortuna de US$ 900 milhões (R$ 3,1 bilhões).
A cifra se baseia em seu "poder econômico sobre uma rede de companhias de propriedade do Estado".
Fidel classificou a avaliação da "Forbes" como uma "mentira repugnante".
Outros acreditam que sua fortuna pode ser ainda maior. Segundo eles, o patrimônio do líder cubano está seria parte das chamadas "Reservas do Comandante", que inclui contas bancárias, negócios e propriedades dentro e fora de Cuba.
5. Com que roupa?

Desde o início da década de 50, Fidel Castro não era visto em público senão com vestimenta militar.
"Com o uniforme não tenho que pôr gravata todos os dias. Evita o problema de que roupa vou usar, que camisa, que calças", disse Fidel ao jornalista espanhol Ignacio Ramonet.
Em 1994, por sugestão do amigo, o escritor colombiano Gabriel García Márquez, experimentou usar uma camisa informal conhecida como "guayabera", na Conferência dos Não Alinhados, segundo o documentário Fidel, A História Não Contada, da cineasta cubana Estela Bravo.
Naquele mesmo ano, começaria também a vestir-se de terno.
Depois de uma cirurgia em 2006, a saúde fragilizada o levou a um estilo mais informal: calças e casaco esportivos. Razão pela qual a revista americana "Time" o incluiu em uma lista recente de governantes mais malvestidos do mundo.
E sua famosa barba? Começou a usá-la ainda nos anos 50 e nunca a abandonou.
6. Mulheres e filhos

Fidel Castro gozava de fama de mulherengo e até hoje não se sabe quantos filhos o líder cubano teve.
Em seu livro "Without Fidel" (2009) (Sem Fidel, em tradução livre), a jornalista americana Ann Louise Bardach disse que o total chega a 11, entre legítimos e ilegítimos.
Fidel se casou em 1948 com Mirta Diaz-Balart, jovem de uma família abastada, que conheceu nos tempos de estudante. Com ela, teve um filho: Fidel, conhecido como Fidelito, que chegou a se encarregar do programa nuclear cubano.
O casamento acabou em 1955 e, segundo Bardach, no ano seguinte, teve três filhos de três mães diferentes.
A mais famosa é Alina Fernández. Sua mãe é Natalia Revuelta, uma jovem da alta sociedade que defendeu ardorosamente a revolução. Alina, por outro lado, fugiu de Cuba em 1993 e se tornou uma das maiores críticas do regime.
A menos conhecida é Panchita Pupo, cuja existência foi revelada por Bardach há alguns anos. Por último, nasceu Jorge Ángel, filho de María Laborde, uma admiradora que Fidel conheceu ao sair da prisão.
Em seguida, o líder cubano teve cinco filhos com a companheira de longa data, Dalia Soto del Valle, uma professora de escola que ele conheceu durante as campanhas de alfabetização dos anos 60: Alexis, Alexander, Antonio, Alejandro e Ángel.
Fidel só se casou com Dalia em 1980. Mas foi apenas em 2003 que o rosto dela se tornou conhecido em todo o país, durante uma transmissão da TV estatal.
"Enquanto não era um pai de estilo afetuoso, Fidel cumpria com suas obrigações e mantinha um olho ─ ainda que distante ─ sobre o clã. Sustentava financeiramente todos os filhos e garantia que todos teriam oportunidades", escreveu Barach.
A jornalista inclui outros herdeiros não confirmados, como um homem chamado Ciro Redondo, que teria sido fruto de uma breve relação do líder cubano. E em 2007, uma desertora dos serviços de inteligência disse ter dado à luz a outro filho de Fidel nos anos 70.
7. Paixão por esportes

Sua paixão por beisebol era conhecida do público. Alguns dizem que ele teria chegado, inclusive, a realizar testes para jogar com um dos mais famosos times do mundo, o New York Yankees, da Liga Profissional Americana (MLB). Outros acreditam que tudo não passou de mito.
"Em um país como Cuba, onde a cobertura dos esportes era ampla e completa (…) não há nenhum registro de que Fidel Castro tenha jogado, e muito menos de que tenha sido estrela de alguma equipe", escreveu o professor da Universidade de Yale Roberto González Echevarría em seu livro "Uma história do beisebol cuban" (1999)
Fidel também gostava de pescar em alto mar.
O líder cubano nutria ainda uma paixão pelo basquete. Em 1991, quando a seleção brasileira feminina de basquete derrotou a cubana na final do Jogos Pan-Americanos de Havana, o líder estava no estádio e chegou a brincar com as duas principais jogadoras brasileiras, Paula e Hortência, dizendo que não iria dar as medalhas de ouro para elas na cerimônia de premiação.
8. Gosto por charuto

Reza a lenda que o famoso charuto Cohiba foi inventado pelo amigo de um de seus guarda-costas, Eduardo Rivera Irizarri, especialmente para Fidel, em meados dos anos 60.
O líder cubano acabaria por abandonar o hábito em 1985, por razões de saúde. Seu único contato depois dessa data foi quando autografava caixas destinadas a celebridades "em benefício da saúde pública de Cuba".
9. Boa sorte

"Se sobreviver a tentativas de assassinato fosse uma modalidade da Olimpíada, ganharia medalha de ouro", disse Fidel em certa ocasião.
"Ele tem uma sorte que pode ser confundida até com algo sobrenatural", disse à BBC Mundo, em 2010, o pesquisador espanhol Luis Adrián Betancourt, autor de um livro sobre o assunto.
Além disso, Fidel era conhecido por sua incrível memória.
"Sempre houve um lado esotérico em Fidel, alimentado naturalmente pelas religiões afrocubanas", esreveu a autora Georgie Anne Geyer no livro "Guerrilla Prince: The Untold Story of Fidel Castro" (O Príncipe da Guerrilha: A História Não Contada de Fidel Castro, em tradução livre).
Um episódio, ocorrido em janeiro de 1959, quando Fidel se dirigiu ao povo cubano após vencer a revolução, é citado com frequência.
Em uma das partes mais apaixonadas de seu discurso, uma pomba branca pousa em seu ombro. O incidente foi interpretado como um sinal de que ele era "o escolhido".
10. Lado artístico

Antes de chegar ao poder, Fidel Castro teria participado de pelo menos duas produções de Hollywood como figurante (durante seus anos de estudante): o musical "Holiday in Mexico" (1946), e a comédia "Easy to Wed" (1946).
O número de filmes, documentários e séries de que participou totalizam 48.
Mas, de acordo a escritora americana Alice Walker, Fidel Castro não sabia dançar nem cantar.

Já o artista cubano Compay Segundo discordava. Segundo ele, o líder cubano gostava muito de cantar.

sábado, 1 de outubro de 2016

KARL MARX, QUEM FOI?


KARL MARX*

 Karl Marx foi sustentado pela esposa por 16 anos enquanto escrevia "O Capital" até que ela ficasse pobre. Só teve um único emprego fixo em 64 anos de vida, e foi correspondente do jornal “New York Herald” por breve período, o que não resultava em quantias suficientes para manter a família.

Embora estudioso de economia, era cronicamente irresponsável nas finanças pessoais e sempre passou necessidades. Em 1852, quando morava em Londres sem ter mais para onde correr, Marx tentou penhorar alguns talheres de prata com o brasão da família da esposa quando o dono da loja, desconfiado daquela criatura de cabelos desgrenhados e mal vestida, chamou a polícia.

Viu 4 de seus 7 filhos morrerem ainda bebês pela vida insalubre e miserável que sua vagabundice impôs à família, viu duas de suas três filhas sobreviventes se suicidarem, traiu a mulher que o sustentou por anos a fio com a melhor amiga dela, e ainda deu o bebê nascido desta relação para o amigo rico Engels criar. Morreu pobre, intelectualmente debilitado e com um abscesso no pulmão. Somente 11 pessoas incluindo Engels foram ao seu enterro.

Esse é o ídolo da esquerda. O "pai do socialismo". Sujeito ordinário, preguiçoso e imoral, que não conseguiu sequer colocar a própria vida em ordem. É este pilantra, em muitos aspectos similar ao Lulla, o criador do sistema que tem a pretensão de trazer a solução para o mundo. Pois é. Cada um tem a referência que merece.

E o Paul Johnson cita no livro “The Intelectuals” que esse energúmeno, além de tudo, não tomava banho e não fazia a barba por muito tempo. Seus seguidores também deixam a barba crescer sem saber por que.

Mas, suas ideias errôneas, ainda estão por aí, a estrepar com o mundo, a azarar com a sociedade. Pior de tudo é que estamos sendo vítimas desses sórdidos caolhos, gigolôs da miséria, parasitas e aproveitadores."

Repasse sem dó, mostremos ao povo a desgraça que é o comunismo.


domingo, 27 de fevereiro de 2011

POETRIX, O MÁXIMO NO MÍNIMO


POETRIX é um novo caminho a percorrer no universo da moderna Poesia.
Esta nova forma poética [nascida e baptizada em Salvador da Bahia/Brasil, fruto da criatividade de Goulart Gomes] é um terceto contemporâneo, que poderá ser, aparentemente, simples ou complexo, fácil ou difícil, alegre ou triste, mas que, no essencial, será sempre pequeno no espaço ocupado pela sua escrita e no tempo que demora a ler, mas grande na sua dimensão de múltiplas mensagens a transmitir.
A palavra POETRIX (neologismo criado a partir de POE, poesia e TRIX, três) surgiu pela primeira vez no idioma português no Manifesto Poetrix, publicado no livro TRIX – Poemetos Topi-Kais, de Goulart Gomes (Bahia: Pórtico Edições, 1999), premiado com Menção Especial no Prémio Jorge de Lima, outorgado pela Academia Carioca de Letras e União Brasileira de Escritores do Rio de Janeiro, em 2000.

-------------------------------------
ROSA

Rosa que não é rosa
Rosa cor de púrpura
Sangue derramando
-------------------------------------
BRISA

Brisa suave
Frio na noite
Primavera chegando
--------------------------------------
NOITE

A noite iluminando
Pirilampos voando
O coração chorando
--------------------------------------
Flores

Flores desbrochando
Primavera chegando
Lembrança de meus amores
-----------------------------------------
MENINA

Sob um dossel de tomilho
Está sentada a menina
No ar, moscas cintilantes

----------------------------------------
OLHOS

Quero olhar nos teu olhos
No teu corpo tocar
Ter você por inteiro
-----------------------------------------
CORPOS

Entre quatro paredes
Dois corpos suados
duas almas fundidas
-----------------------------------------
PAIXÂO

Paixão sente-se a cada hora
Por várias pessoas diferentes
Entregando-se ao mais puro sentimento
------------------------------------------
AMAR

Amar é dar a própria vida pelo amado
Sem sacrifícios ou cobranças
Amores verdadeiros sobrevivem até à morte
-------------------------------------------
FOGO

Como o incêndio na floresta
O fogo da paixão se apaga
Toda paixão é passageira

©Geraldo de Azevedo

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

O ABSURDO DO FACEBOOK


Mark Zuckerberg também ficou conhecido por ser "o mais jovem bilionário da História".
(Já o era aos 25 anos.) E o Facebook passou de "mais uma rede social" (em 2004) para "a" rede social (2010): The Social Network.
Hoje quase ninguém mais se lembra do Orkut, que já foi febre no Brasil. Muito menos do Friendster, a primeira de todas.
E, menos ainda, do MySpace, que conseguiu seduzir até um velho dinossauro como Rupert Murdoch. O fato é que o assunto "Facebook" está à beira da exaustão - o que muitos especialistas apontam como o auge da valorização do sit e (antes da queda). Além do livro e do filme, já havia sinais, desde que o Facebook ultrapassou o Google em visitação, nos EUA, atingindo, posteriormente, 500 milhões de usuários no mundo.
O Twitter, que pretendia 1 bilhão de usuários, contentou-se com uma aparição no programa de Oprah Winfrey, o máximo de exposição em sua carreira, igualmente, meteórica. (E o Google tentou comprar o Twitter; e o Facebook acabou comprando o FriendFeed...)
A especulação deixa de sê-lo, contudo, quando o Goldman Sachs anuncia que vai comercializar as ações do Facebook, numa das maiores IPOs da História. E, para provar que é bom negócio, o Goldman investe do seu próprio bolso (no Facebook).
Muita gente estrilou, por dois motivos. Primeiro p orque o Goldman foi "resgatado" pelo governo, durante a crise de 2008. Logo, não poderia estar, novamente, envolvido num investimento de risco (envolvendo, em última instância, o dinheiro dos contribuintes).
Em segundo lugar, porque investir o próprio dinheiro (até onde esse dinheiro pode ser "próprio") não significa muita coisa, afinal o Goldman vai lucrar muito mais, se o Facebook efetivamente for "a maior IPO da História". Quem lança essa tese é Douglas Rushkoff, um analista sobrevivente (desde a primeira bolha de internet, em 2000).
Rushkoff não compara o Facebook com o MySpace (outro fiasco), nem com o Orkut (que só touxe processos ao Google), nem com o YouTube ou o PayPal, valuations "recentes", mas, sim, com a America Online.
A AOL foi, se é possível lembrar , "maior que a internet", antes da internet. E a AOL se fundiu com a Time Warner, quando estava no auge, numa tentativa desesperada de aproveitar a onda e adquirir ativos do chamado "mundo real". Rushkoff lembra que a fusão foi um desastre, que acabou sendo desfeita, e que Steve Case, outrora gênio da internet, teve de se contentar com aparições em eventos como os do blog TechCrunch (aliás, vendido para a mesma AOL, que subsiste...).
Toda a discussão retorna ao encontro memorável entre Jason Calacanis e David Heinemeier Hansson, da 37Signals, que encarnavam, respectivamente, o capitalismo das bolhas, "estilo" Facebook, e o "capit alismo real", estilo "economia real". Hansson argumentava que valorizações estapafúrdias não ajudavam os negócios na internet, criando expectativas incomensuráveis, eternamente condenadas à frustração.
Calacanis contra-argumentava que investidores bilionários, ou até simples milionários, queriam negócios cada vez maiores, e que as bolhas faziam, sim, parte do jogo. Não se sabe, exatamente, quem serão os ganhadores e os perdedores, nesta rodada, mas as apostas, no Facebook, já giram em torno de 50 bilhões de dólares...
Julio Daio Borges (Digetivo Cultural)

sábado, 22 de janeiro de 2011

O SÍMBOLO PERDIDO ( 2 ) -Dan Brown


Seus pés eram as garras de um gavião. Suas pernas - Boaz e jaquim -, os antigos pilares da sabedoria. A virilha e o abdómen eram as arcadas do poder místico. Pendendo sob essa arcada, o imenso sexo exibia os símbolos tatuados de seu destino. Em outra vida, aquele pesado bastão de carne tinha sido sua fonte de prazer carnal. Mas agora não mais.
-Eu fui purificado.
Assim como os monges eunucos místicos de Katharoi, MaFakh havia removido os próprios testículos. Sacrificara sua potência física em troca de outra mais valiosa.
-Os deuses não têm sexo.
Depois de se livrar daquela imperfeição humana juntamente com o impulso terreno da tentação sexual, MaFakh se igualara a Urano, Átis, Sporus e aos grandes mágicos castrati da lenda arturiana. Toda metamorfose espiritual é precedida por outra, física. Era essa a lição de todos os grandes deuses... Osíris, Tammuz, Jesus, Shiva e até mesmo o próprio Buda.
-Devo me despir da vestimenta de homem.
De repente, Mal'akh dirigiu o olhar para cima, passando pela fénix de duas cabeças em seu peito, pelo mosaico de antigos sigilos que lhe adornava o rosto, até chegar ao topo da cabeça. Inclinou-a na direção do espelho, mal conseguindo ver o círculo de pele não tatuada que aguardava ali.
-Aquele lugar era sagrado.
Conhecido como fontanela, era a única área do crânio humano que ainda não se encontrava ossifïcada no nascimento. Uma janela para o cérebro. Embora esse portal fisiológico se fechasse em poucos meses, ele continuava sendo um vestígio simbólico da conexão perdida entre os mundos exterior e interior.
Mal'akh analisou aquele trecho sagrado de pele virgem, rodeado por um ouroboros - uma serpente mística devorando o próprio rabo. A pele nua pareceu retribuir seu olhar... brilhando de promessa.
Robert Langdon logo iria desvendar o grande tesouro de que MaFakh precisava. Quando o obtivesse, o vazio no topo de sua cabeça seria preenchido, e ele finalmente estaria pronto para a transformação final.
MaFakh atravessou descalço seu quarto de dormir e retirou da última gaveta da cómoda uma longa faixa de seda branca. Como já havia feito diversas vezes, enrolou-a em volta do sexo e das nádegas.
Então desceu para o andar de baixo.
Foi até o escritório e abriu o computador para checar seus e-mails.
Seu contato acabara de lhe enviar uma mensagem:

Em O Símbolo Perdido, o célebre-professor de Harvard é convidado às pressas por seu amigo e mentor Peter Solomon — eminente maçom e filantropo — a dar uma palestra no Capitólio dos Estados Unidos. Ao chegar lá descobre que caiu numa armadilha. Não há palestra nenhuma, Solomon está desaparecido e, ao que tudo indica, correndo grande perigo. Mal'akh, o sequestrador, acredita que os fundadores de Washington, a maioria deles mestres maçons, esconderam na cidade um tesouro capaz de dar poderes sobre-humanos a quem-o encontrasse. E está convencido de que Langdon é a única pessoa que pode encontra-lo. Vendo que essa é sua única chance de salvar Solomon, o simbologista se lança numa corrida alucinada pelos principais pontos da capital americana: o Capitólio, a Biblioteca do Congresso, a Catedral Nacional e o Centro de Apoio dos Museus Smithsonian.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

A SEMENTE DA SAÚDE


Os pássaros já sabiam: as sementes fazem bem à saúde. Investindo nisso. A linhaça é um alimento rico em lignina e fitoestrogênio, substâncias que ajudam na redução do peso. Estudos comprovaram que mulheres que ingerem mais lignina possuem índice de massa corpórea (IMC) menor. Esta substância ajuda a reduzir o apetite e as células gordurosas.
A lignina é bastante conhecida para ajudar na redução dos tumores da mama. Foi comprovado que este composto atua na apoptose celular, matando as células defeituosas.
O segredo está na casca da linhaça que é rica em proteínas, minerais e vitaminas. Entre as vitaminas presentes na linhaça o destaque vai para a vitamina E, que contribui para evitar o envelhecimento precoce.
A linhaça é fonte de ácido graxo ômega-3 e ômega-6, contribuindo para a saúde do coração, auxiliando na redução do colesterol ruim (LDL), responsável pelo entupimento nas artérias.

pesquisas pelo mundo andam descobrindo os benefícios que elas trazem também para nós, seres humanos.
Uma pesquisa realizada na Universidade de Toronto, no Canadá, comprovou que a semente de linhaça apresenta um componente chamado de lignana, uma substância que atua na defesa do organismo e provoca a destruição das células que causam o câncer de mama.
Além disso, a linhaça também é rica em proteínas, minerais e vi-a»«vitagaiia E, que afasta o envelhecimento precoce. Por apresentar ômega-3 e ômega-6, a semente também garante a saúde do coração.
No entanto, os especialistas não aconselham o consumo exagerado, pois o excesso pode prejudicar as membranas celulares e causar danos à saúde.

Faça um mingau de Aveia e adicione oma colher de sopa de farinha de linhaça e consuma diariamente de manhã ou a noite.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

JOHNNY GUITAR



Johnny Guitar é um western que fala de amor. Nicholas Ray declara neste filme o seu amor pelo genero e ao mesmo tempo mostra porque o amor e a mulher são elementos importantes e essenciais no western, onde eles articulam a identidade americana. Em Jonny Guitar esta articulação se dá pela idéia do seguimento de um processo calculado ( pensado ). Isto é a mola global do filme, é uma forma de rebelião contra tudo o que se assemelha a este estado de coisa, um ponto onde o pensamento congela. Assim o amor não está presente como uma finalidade, um estado de felicidade, mas como um processo, um pensamento a dois, dentro desse movimento contínuo. Paralelamente a questão da nação é igualmante dada como um processo onde a identidade americana aparece sempre como um horizonte, que se consegue alcançar, mas o qual é necessário dirirgir-se, um ideal no sentido restrito onde o passado não traz nenhuma resposta, mas serve de exemplo para o futuro.
Estes processos são suportados pelos personagens que estão em busca de sua própria identidade, e estão além dos objetos de uma investigação do espectador, que se pergunta continuamente quem são os heróis do filme, Johnny o homem, ou Viena a estrela.
Este filme as vezes é classificado de "western intelectual", só que não é uma marca pertinente, mas revelada, contudo um dos aspectos do filme, porque a artificialidade das convenções do western se dão a ver, incitando assim o espectador a passar a simples visão de uma história de cowboy.
Johnny Guitar se apoia com efeito sobre os do gênero daqueles que são mais convencionais e em sua linha artificial notadamente pelo emprego de cores atípicas. Nicholas Ray não contorna a artificialidade, mas a sublinha e perde a credibilidade devido uma qualidade, pq porque participa na criação da emoção.

Traduzido do frances por Sandra Mamede

ELENCO

Joan Crawford ...Viena
Sterling Hayden ...Johnny Guitar
Mercedes McCambridge ...Emma Small
Scott Brady ...Dancin Kid
Ward Bond ...John McIvers
Ben Cooper ...Turkey Ralston
Ernest Borgnine ...Bart Lonergan
John Carradine ...Old Tom
Royal Dano ...Corey
Frank Ferguson ...Marshal Williams
Paul Fix ...Eddie
Rhys Williams ...Mr. Andrews
Ian MacDonald ...Pete

www.nostalgiabr.com

terça-feira, 9 de novembro de 2010

COMO FOI FEITA A MURALHA DO "NOSSO LAR"



A muralha do Nosso Lar foi construída ao ar livre em uma fazenda em Guaratiba na cidade do Rio de Janeiro.
No total, a construção tinha cerca de 70 metros de comprimento e 7 metros de altura e envolveu cerca de 30 profissionais em 30 dias. A muralha foi feita toda de isopor. Encerradas as gravações em Guaratiba, a equipe transportou o portal e 20 metros de muralha para o bairro de São Cristóvão para filmar em detalhe a entrada e a alameda principal da cidade Nosso Lar.
Com cerca de 14m de comprimento e peso de 7 toneladas, o aeróbus era tão grande que a equipe não conseguia lugar para guardá-lo. Foi construído em Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul e demorou 5 dias para chegar ao Rio de Janeiro em um carreta estendida, único meio de transporte capaz de fazer o frete.
As filmagens foram concluídas em 8 semanas, sendo feitas nos estados do Rio de Janeiro e Brasília.

domingo, 17 de outubro de 2010

Preciosa - Uma História de Esperança



Em “Preciosa”, a rotina da personagem título (Gabourey Sidibe) consiste em voltar da escola e preparar o jantar para a mãe, Mary (Mo’Nique). Mary provavelmente poderia fazer o jantar sozinha. Mas assim é mais fácil para ela jogar o jantar fora ou em Preciosa.

Claireece, que prefere ser chamada de Preciosa (seu segundo nome) é negra, obesa e, aos 16 anos, espera seu segundo filho, cujo pai, é seu próprio pai. Esse último fator é o catalisador da violência e ciúme da mãe. O relacionamento se destrói aos poucos. Mas Preciosa aos poucos percebe o que ela precisa.

O filme cataloga com certa riqueza a parte feia dos relacionamentos humanos. Foi feito para parecer presumivelmente feio, sublinhando, dessa forma, a tristeza da vida de Preciosa. Evitando os truques de animar o público ao fim da projeção, o filme mergulha no rosto de sua protagonista que, apesar de todo seu sofrimento, sempre procura uma razão para viver.

O diretor Lee Daniels traz para a tela uma vitalidade que bate de frente com o horror o qual ouvimos falar e ver, sem apresentar uma coisa maçante. Ele parece dizer que, viver significa estar vivo para saborear o bem para sentir a confusão do mal. Assim, sua câmera geralmente fica próxima ao sexo e os assaltos, mas também nos transporta para a psique de Preciosa, onde ela mistura suas vergonhas e fantasias.

Enquanto a narração nos transporta cada vez mais para dentro da imaginação da personagem, onde descobrimos seu interesse por seu professor de matemática e tantas outras coisas, os pesadelos das transgressões de seu pai persistem. Cortesia da montagem que justapõe o estupro e os alimentos gordurosas preparados por Claireece.

Por não usar dos truques para animar a plateia, o filme não irá agradar quem espera por finais comuns. No fim de outro filme – um que não precisamos ver – Preciosa estaria passando na rua ao fim de sua trajetória. Um caçador de talentos a ouviria cantar e a contrataria para que a mesma pudesse ser feliz de uma forma Hollywoodiana. Não é o que acontece. As imagens aqui são de uma mulher longe das mãos de Hollywood, mas que está determinada a salvar-se e ser feliz...

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

DESLUMBRAMENTO

Cansado de vagar a terra e o mar
sonhei para você toda felicidade
com ela nós iremos ter um dia
vamos viver como sempre desejamos
morar num mundo que nós sonhamos
fazer da terra o nosso paraiso.
Tu descreves meu encantamento
e os misterios da alma desvendas
o seu olhar tão cheio de candura
rubro espelho de luz nas alvoradas
e afagaste também com os teus braços
meu corpo ansioso por carinho e amor.
Quando a sombra da noite o dia invade
sem ter que derramar o triste pranto
meu lenço é a mortalha da saudade
enxugando as lagrimas que correm tanto
nos olhos dos que amam e vão embora.
Inspirado, como poeta, fiz este verso
pois querendo lembrar jamais esqueço
do encanto da mensagem que eu trago.

© Geraldo de Azevedo

sábado, 11 de setembro de 2010

Harry Potter e as Relíquias da Morte - Segredos



O primeiro trailer para TV da primeira parte de Harry Potter e as Relíquias da Morte foi ao ar nos Estados Unidos durante a estreia da segunda temporada de Vampire Diaries no canal americano CW.
No vídeo é possível ver o trio de amigos Harry, Rony e Hermione, interpretados por Daniel Radcliffe, Rupert Grint e Emma Watson em várias cenas de ação e perigo, além de diversas aparições de Voldemort, interpretado por Ralph Fiennes. A tão aguardada estreia do filme
está marcada para 19 de novembro e chega nas versões
2D, 3D e 3D IMAX.

domingo, 5 de setembro de 2010

NOSSO LAR (Recorde de bilheteria)



"Está entrando em circuito nacional o filme Nosso Lar, uma das mais caras e bem cuidadas obras do cinema nacional. Para o movimento espírita, um marco. Pela primeira vez, o mundo espiritual, a morada dos mortos, conforme a descrição do espírito André Luiz, em psicografia de Francisco Cândido Xavier, salta do livro homônimo para as telas.

Um mundo espiritual surpreendente, apresentado com efeitos especiais espetaculares e primorosa técnica, a nos oferecer uma visão ampla e objetiva do que nos espera quando nosso corpo, a máquina que usamos para transitar pelo mundo, entrar em pane definitiva e for destinada ao desmanche no cemitério.

Para você, leitor amigo, que não é espírita, nem está familiarizado com a temática doutrinária, aqui vão alguns esclarecimentos indispensáveis, a fim de que não julgue estar diante de delirante fantasia.

Podemos começar com a afirmativa do apóstolo Paulo, na primeira epístola aos coríntios (15:44): "Semeia-se corpo animal, é ressuscitado corpo espiritual. Se há corpo animal, há também corpo
espiritual." Paulo faz uma distinção entre o corpo físico, que usamos no trânsito terrestre, e o corpo espiritual, que nos serve no trânsito celeste. Segundo a definição espírita, o espírito não tem forma.

Podemos situá-lo como um facho de luz. Esse ser espiritual, essa luz que irradia, tem um veículo de manifestação no plano em que atua, o corpo celeste a que se refere Paulo. É por intermédio dele que o espírito liga-se ao corpo na reencarnação. E é com ele que transita no mundo espiritual, após a morte física.

Esse corpo celeste tem sido estudado ao longo dos milênios, em todas as culturas. No budismo esotérico, era chamado Kama-rupa; Kha, no Egito; Imago, no tradicionalismo grego; Khi, no tradicionalismo chinês; carne sutil da alma, por Pitágoras; corpo sutil e etéreo, por Aristóteles; Evestrum, por Paracelso; corpo fluídico, por Leibnitz; Aerossoma, pelos neoagnósticos, corpo astral por hermetistas e alquimistas... A lista iria longe. No Espiritismo, é chamado perispírito (em torno do espírito).

Um detalhe, leitor amigo: certamente você conhece ou já ouviu falar de gente que vê os mortos. Relatos a respeito existem no seio de todas as culturas e todas as religiões. Uma pergunta: como podem os videntes identificar tais espíritos, dizendo quem foram na Terra? É simples. Eles os veem em seu corpo espiritual, que guarda a mesma aparência do corpo físico, como se fosse cópia xerox.

Agora o fundamental: o perispírito é feito de matéria também, matéria numa outra faixa de vibração, matéria quinta-essenciada, mas matéria, que não vemos porque o corpo físico inibe nossas percepções espirituais. Ora, se o perispírito é feito de matéria sutil, ocupa lugar no espaço, obviamente deve movimentar-se num mundo feito de matéria, onde inescapavelmente há formas. Admitindo essa realidade, não nos é difícil imaginar um mundo espiritual semelhante ao mundo físico, com casas, cidades, veículos e muitas coisas das quais o que temos na Terra é mera cópia.

Se os físicos, esses incríveis visionários que enxergam aparentes fantasias que a ciência acaba comprovando, concebem que existem "n" universos paralelos, não é difícil imaginar o mundo espiritual como um deles. E para lá nos transferiremos quando a morte nos convocar, deixando o veículo físico para usar o veículo perispiritual, arrebatados para experiências inacessíveis ao homem comum, como revela Paulo, na segunda epístola aos coríntios (12:2-4): "Conheço um homem em Cristo, que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu. E sei que o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar."

Veja o filme, amigo leitor, maravilhosa antevisão do que o espera quando chegar sua hora. Perceba que certamente Paulo visitou, durante o sono, em seu corpo espiritual, comunidades como a de Nosso Lar, cidade habitada por espíritos conscientes da paternidade divina e compromissados com o bem. E não se assuste com a visão do chamado Umbral, um autêntico purgatório apresentado no começo do filme. Fique tranquilo, porquanto por lá só transitam aqueles que não cumprem as recomendações do Cristo, a partir do essencial: o amor a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos, como recomendava Jesus."

Richard Simonetti

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

SIMBIOSE












A Vida traiçoeira como é...
deixa na alma uma marca de dor
e nós vivemos com medo e esperança
olvidando um passado de bonanza.
Nas lembranças que passam como o vento
nas folhas secas que voam e flutuam no ar
olho para cima e vejo o firmamento
com miríades de estrelas cintilando,
enquanto a sombra pugila com a noite
tentando abrir caminho para a luz
perdendo cada espaço conquistado
quando o sol cria vida pelos campos
cobrindo a paisagem de luz.
A vida se anima radiosa ao redor
abrindo um cenário de encanto e magia.
Custa-me a crer que tenha estado um dia
humilde, apreciando tamanha maravilha
com o coração transbordando de alegria
na simbiose de esperanças e amor.

Geraldo de Azevedo

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

400 contra 1

O filme "400 contra 1 - Uma história do crime organizado", que estreia em circuito nacional nesta sexta-feira (6), é uma nova versão de um episódio verídico retratado de forma mais bem-sucedida no drama "Quase dois irmãos" (2004), de Lúcia Murat.

No centro da trama dos dois longas está o confinamento de presos comuns ao lado de presos políticos em pleno auge da ditadura, nos anos 1970, e a influência de um grupo sobre o outro.
A história que o diretor Caco Souza procura contar em "400 contra 1" é a de William da Silva Lima (Daniel de Oliveira, de "A festa da menina morta"), audacioso assaltante de bancos. Ele e seu bando são criminosos comuns, mas, dentro do presídio de Ilha Grande (RJ), descobrem a disciplina dos presos políticos, bem como as vantagens que podem obter mediante sua própria organização. Assim, teoricamente, nascia uma facção temida até hoje no país.
Essa é a premissa do filme, que parte do livro autobiográfico do próprio William Silva Lima. O que se vê na tela, no entanto, é uma profusão de cadáveres que só não é maior do que a confusão gerada pelas idas e vindas no tempo do roteiro, de Victor Navas e Julio Ludemir. A opção por flashbacks sucessivos cria uma narrativa truncada e não permite o desenvolvimento efetivo dos personagens.
Lembrança de Guy Ritchie
Enquanto a diretora Lúcia Murat, em "Quase dois irmãos", percorreu um viés político-social, Caco Souza procura enfatizar um aspecto policial e pop na história, na qual o que conta são os litros de sangue jorrando e cartelas indicando o ano em que cada ação acontece.
Se a intenção foi lembrar algo como "Jogos, trapaças e dois canos fumegantes", do cineasta inglês Guy Ritchie, o diretor alcançou o seu objetivo.
Estreante em ficção, Souza assinou alguns documentários. Entre eles, a origem deste projeto, um curta chamado "Senhora liberdade" (2004), em que entrevistou o verdadeiro William que, na época, estava no Presídio Ari Franco. Desde 2008, ele está foragido.
Em "400 contra 1", bons atores como Oliveira, Daniela Escobar, Branca Messina e Fabrício Boliveira parecem perdidos em meio a personagens que são clichês ambulantes, desprovidos de personalidade ou profundidade, falando diálogos ruins em meio ao ir e vir frenético da história.
Apesar do esforço para inscrever-se no gênero thriller, faltam a "400 contra 1" requisitos básicos, como uma narrativa de bom ritmo e personagens interessantes. Fica a sensação de que havia ali uma boa história para se contar, mas muitos floreios visuais e narrativos impediram-na de acontecer.
(Por Alysson Oliveira, do Cineweb)
* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

segunda-feira, 12 de julho de 2010

NOVELAS E POLÍTICA

O senador Cristovam Buarque citou na bancada do Senado nesta Segunda Feira (12), o empressário Emílio Odebrecht que escreveu um artigo sobre as novelas Brasileiras na Folha de São Paulo neste domingo (11), salientando que a importância delas em toda a sociedade Brasileira são mais benéficas que maléficas.
Nos útimos anos, as novelas deixaram de ser mero divertimento para ser um importante veiculo de comunicação da TV brasileira, elas não só tem imfuenciado o comportamento do público no Brasil, mas também no exterior, onde também são muito exibidas.
Elas já abordaram diversos temas como, Alcoolismo, Adultério, Deficiência Física, Sindrome de Dow, Amores impossiveis, Homossexualismo Drogas, culturas estrangeiras e doenças.
Segundo o Senador, as novelas deveriam de "alguma forma" incentivar a educação e não passar a idéia de que não é só "graças ao dinheiro ou à beleza física" que as pessoas "vencem na vida" ou são reconhecidas.
O Senador citou a reportagem do Fantástico neste Domingo (11), que informa que praticamente em todo o Brasil faltem professores de ciências (química e física) no ensino médio, daí o imenso contigente de alunos mal preparados que não conseguem entrar para a faculdade.
Apesar da gravidade do que foi mostrado, o Presidente Lula nem tomou conhecimento desta reportagem para que fossem tomadas as devidas providências, deixando um enorme contigente de alunos revoltados com esta situação, basta ver a pequena repercussão da reportagem do Fantástico.
O senador também sugere aos autores de novelas Brasileiras que segundo sua opinião são autores talentosos, que ajudem a promover a educação no Brasil colocando mais temas sobre a educação e mostrando a realidade brasileira e não que só mostrem os jovens "mais espertos ou mais "sarados", ou seja, têm corpo bonito, moldado em academias de ginástica".

Nota 10 para o Senador, que informou também que as novelas tem mudado até mesmo o comportamento de pessoas em outros países, conforme ele comprovou em uma de suas viagens, conversando com um Motorista mulçumano que afirmou que assistia as novelas brasileiras e não tinha quatro esposas como permitia o seu País, mas apenas uma.

© Geraldo de Azevedo

quarta-feira, 7 de julho de 2010

GOOGLE ABANDONA GRADUALMENTE O WINDOWS POR RAZÕES DE SEGURANÇA


Os funcionários da Google terão de se adaptar a sistemas operacionais como o Linux e o Mac OS. A migração do Windows para plataformas alternativas é motivada principalmente pelo fator de o Google querer incrementar a segurança.
Segundo o Financial Times, muitos dos 10 mil funcionários do gigante de buscas têm sido solicitados a mudar de sistema operacional, e podem optar entre o Linux e o Mac OS.
Mas nenhuma requisição de migração para o sistema operacional Chrome OS foi expedida. Baseado no Linux e com lançamento previsto para a segunda da metade desse ano, o sistema da Google irá rodar somente em hardware específico.
Pode-se entender a manobra da Google como precaução depois de contas terem sido invadidas na China, ao final do ano passado. Àquela altura do campeonato, a empresa proibiu sua equipe de instalar o sistema operacional da Microsoft nos desktops.
“Não usamos mais o Windows”, declarou um funcionário da empresa ao Financial Times. “É uma medida de segurança. Quem insistir em usar o Windows, agora, precisará de autorização por parte da direção de TI”, adiciona outro empregado.
Outro funcionário do Google emenda: “O Linux tem código fonte aberto e o Windows, não. Nós não gostamos disso.”
A Google se recusou a dar detalhes. A empresa afirma que está sempre “procurando incrementar a eficiência de seu negócio, mas não comentamos questões operacionais específicas.”.

Fonte: www.linuxmagazine.com.br

quarta-feira, 26 de maio de 2010

COMO ENGANAR OS APOSENTADOS

Não me conformo como a pessoa faz de tudo e a todo custo para conquistar o poder. Estamos farto de tantos comícios e discursos. Lula sempre dizia: "QUE NÃO ME VENHA O GOVERNO DIZER QUE A PREVIDÊNCIA NÃO TEM DINHEIRO, QUE ELA TEM DINHEIRO SIM". Então todos os antecessores governaram com crises em cima de crises, inflações que atormentavam todo mundo. Qualquer crise internacional, o Brasil no dia seguinte sofria seus reflexos. Este governo teve tanta sorte, que só teve esta crise americana recente. O Brasil não sofreu tanto impacto.
Naquela época o Brasil estava até ao pescoço com endividamento, e assim mesmo, Discursos e mais discursos conquistando o poder, E não culpo apenas o Lula não, a culpa é que nossa oposição é muito fraca, não temos oposição, não temos mais sindicatos, o Lula conquistou o poder junto com a oposição e o sindicalismo, Está tudo na mão dele, inclusive a mídia. só falta agora se transformar em LULA perfeito.
Isto é muito perigoso para nossa democracia, basta ouvir este arquivo e ver o que hoje ele faz com os aposentados. Isto o que conseguimos detectar.
Até 2002 a Previdência Social, com todas as crises, Ele mesmo firmava que tinha dinheiro, e hoje com toda melhoria, podemos assim dizer, quando se fala em aposentados, a previdência vai falir, que o PIB não sei o que lá prá 2050, e o dinheiro desaparece.
E assim passam anos e anos, de governo em governo, os aposentados é colocado sempre em último plano. Se esqueçam que foram estes trabalhadores que construíram este país, quando foi criado o FAMIGERADO FATOR PREVIDENCIÁRIO pelo governo FHC, os deputados do PT cairam matando, fizeram o maior estardalhaço na época.
Só não conseguiram fazer com o que a lei não entrasse em vigor. O PT tomou posse em 2003, fizeram mais uma mudança no cálculo, levando a média longa e mantendo o famigerado FATOR PREVIDENCIÁRIO. PIOROU AINDA MAIS. Além de manter o perverso FATOR, que gritaram tanto naquela época, piorou aumentando a média longa. Fator perverso que em nenhum país do mundo existe. Fico perguntando; Onde será que está a consciência destes políticos? Se é que tem. Porque olhem que isto é coisa ruím. Como que de uma hora para outra mudam de opiniões assim. QUANDO SERÁ QUE O POVO BRASILEIRO VAI APRENDER VOTAR?

domingo, 16 de maio de 2010

VACINAÇÃO H1N1

A uma semana de terminar a terceira e última etapa da vacinação contra o vírus Influenza A H1N1, a gripe suína, a estimativa de imunizar pelo menos 80% de cada grupo, preconizada pelo Ministério da Saúde, continua abaixo da meta em Volta Redonda, segundo dados divulgados ontem pelo Setor de Epidemiologia da secretaria municipal de Saúde.

Até agora, foram vacinados 73% das gestantes (2.147), 74% dos adultos entre os 20 e 29 anos (33.560), 18.892 doentes crônicos e 120% das crianças de seis meses a 2 anos (5.820). Na primeira semana da vacinação de pessoas com idade entre 30 e 39 anos foram vacinadas 5.407 indivíduos, o que corresponde a 14% do total esperado desse público. Um total de 65.826 pessoas imunizadas. A vacinação segue até a próxima sexta-feira.

A coordenadora do Setor de Epidemiologia da secretaria municipal de Saúde, Ana Valéria Maia, informou que até o dia 21, quando termina a última etapa da imunização, os profissionais de saúde estarão aplicando a dose da vacina em todos os postos do município, das 7 às 17 horas. "Vale ressaltar que o Cais do Conforto, Aterrado e o também posto de Pronto Atendimento 24 horas da Santa Cruz não estão promovendo a vacinação", lembrou ela.

Ana Valéria informou que é pouco provável que o Ministério da Saúde prorrogue o prazo da campanha e alertou sobre a importância da vacinação. "Não há como prever se o Ministério da Saúde irá prorrogar a vacinação. Por isso é importante que as pessoas que ainda não foram vacinadas compareçam a um posto de saúde para serem imunizadas contra a gripe suína até a próxima sexta-feira", disse Ana Valéria.

Efeitos colaterais

Ana Valéria informou também que os efeitos colaterais esperados da vacina são dor na área da injeção e febre. "Algumas pessoas estão deixando de se vacinar com medo dos efeitos colaterais. Os efeitos existem, mas basta tomar um remédio. Do contrário, se a pessoa não for vacinada, ela está aumentando a sua possibilidade de adoecer. Uma pessoa que apresentou gripe, por exemplo, provavelmente já estava com o vírus da gripe em período de incubação (7 dias) e coincidentemente começou a apresentar os sintomas após ter recebido a dose da vacina. Neste caso a vacina não é a responsável por a pessoa ter ficado adoentada", explicou a coordenadora.

Foto - Felipe Vieira

No final: Próxima semana é a última para quem quiser se vacinar contra a gripe suína

Em BM, imunização de gestantes e jovens não alcança meta

Barra Mansa

De acordo com a enfermeira responsável pela imunização contra a Influenza A H1N1, do Setor de Epidemiologia da secretaria municipal de Saúde de Barra Mansa, América Vanuza Oliveira Leite, a meta de vacinação em Barra Mansa não foi alcançada para as gestantes e para a população de jovens entre 20 e 29 anos.

Segundo dados da secretaria municipal de Saúde, 1.451 gestantes se vacinaram na cidade, ou seja, apenas 68% da população estimada. Entre os jovens de 20 a 29 anos, 73% receberam a vacina, enquanto cerca de 3.798 crianças com idade entre seis meses e dois anos foram vacinadas, totalizando 112% da população. Os dados apontam ainda que 93% dos portadores de doenças crônicas com idade abaixo de 60 anos foram imunizados e 112% da população idosa recebeu a vacina. Os números apontam ainda que, até o momento, apenas 52% da população com idade entre 30 a 39 anos foi imunizada.

De acordo com América Vanuza, aqueles que não se vacinarem até o dia 21 de maio não poderão mais ser imunizados. Segundo ela, não há informação sobre uma possível prorrogação. - A próxima semana será a ultima chance para aqueles que ainda não se vacinaram. Por isso fazemos um apelo para que principalmente as gestantes que ainda não se imunizaram compareçam aos postos de saúde, já que pertencem ao grupo que apresentou maior número de óbito no ano passado.

Outro apelo é que os idosos continuem procurando os postos de saúde para receberem a vacina contra a gripe comum, pois o inverno está chegando e a doença costuma se desenvolver de maneira mais grave na população acima de sessenta anos - afirmou a enfermeira.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

CHATROULETTE, QUE É ISSO?

Chat Roulette, aquele serviço que vem chamando a atenção de toda a mídia nos últimos dias, não tem nada de muito complicado: Você acessa o site, liga a webcam e o microfone, e fica esperando alguém aparecer pra falar com você. E esse ‘alguém’ pode ser qualquer um (até mesmo personalidades famosas). Não gostou da conversa ou da pessoa? Clica em “Next”, e você pula pra próxima conversa com uma pessoa escolhida aleatoriamente. A graça é que, ao invés de ficar apenas no texto ou em fotos das pessoas conversando, você pode papear pela webcam com uma pessoa qualquer no mundo.

Parece bobo? Não só parece, como é. Na verdade, o serviço em si só ficou famoso por permitir o uso de uma webcam, que permite que você veja a pessoa do outro lado (E, sim, esse é um lugar onde eventualmente você VAI encontrar pervertidos e malucos de todo o tipo)

Apesar de ser considerado um fenômeno, a pergunta que fica no ar é: qual é a graça de conversar com estranhos? O que move as pessoas a entrarem em uma roleta de pessoas e conversar ou descartar alguém?
Para a estudante de sociologia Juliana Vlastuin, “serviços como o Chatroulette fazem sucesso porque são formas mais fáceis de experimentar coisas diferentes, sem precisar passar pelos constrangimentos das relações ‘cara a cara’”.

A estudante completa afirmando que “a despersonalização, ou seja, o que eu faço, gosto ou acredito no mundo real, não é tão importante nestes casos, pois eu posso assumir um caráter que pode ser mudado de acordo com a situação ou com o que eu procuro na internet”.
Com estas afirmações, é possível concluir que as novas experiências ou a expectativa pelo que virá com o botão “Next” é o que move as pessoas a acessar serviços de chat randômico. Da mesma forma que as salas de bate-papo já foram uma febre há alguns anos, uma nova maneira de conhecer pessoas, de forma descompromissada parece ser uma necessidade dos usuários.