domingo, 11 de abril de 2010

ALAGAMENTOS DESABAMENTOS E MORTES

Se você pensar bem descobrirá que os alagamentos, deslizamentos e mortes não são de responsabilidade de Deus, ou de São Pedro que enviou o excesso de chuvas, sempre os maiores em décadas.
Verá que o caos urbano é conseqüência da absoluta ineficiência dos gestores públicos que não medem esforços para enriquecerem, mas medem muito os esforços para resolverem os reais problemas que geram os desastres quando o excesso de chuva precipita concentrado.

No Rio é fácil, todos jogam o que tem nas mãos na rua, latas de lixo pra que? Sempre foi assim. O governo federal manda dinheiro para o combate a Dengue e os carros doados viram criadouros dos mosquitos esquecidos em terrenos da prefeitura. Os hospitais são caóticos e superlotados, assim como as prisões.
O tráfico de drogas domina boa parte da cidade, a parte que sobra é dominada pelas milícias. Policiais são endeusados em filmes de cinema e esquecidos nos quartéis sem estrutura. Investem milhões em divulgação de candidaturas mas se esquecem de investir em saúde, segurança, ensino.
Mas para eles está tudo bem, fizeram o PAN, olha que maravilha de organização, e ninguém comenta que o tal legado de bilhões de reais já está deteriorado devido a péssima gestão dos recursos.
Mas vão gastar ainda mais com outros dois mega eventos e a discussão é sobre como as festas de aberturas podem ser bonitas, com muito samba e cerveja nem sempre gelada. As redes de televisão contribuem para que a cidade fique ainda mais bonita.
Olha o Leblon que lindo em mais uma novela. Tudo bem, o Rio cheira bem e no próximo verão a Madona vai cantar na praia outra vez, só não pise na água do mar para evitar doenças contagiosas.
Que me desculpem os fluminenses, uma vez que os cariocas foram extintos junto com a Guanabara, mas tais coisas só acontecem ali devido a imensa irresponsabilidade com que todos lidam com a política e as coisas públicas.
São décadas de eleitos irresponsáveis que só vêem o Rio em estado de festa.
O fenômeno se dá desde a eleição e reeleição do velho Brisa, que foi o maior incentivador da favelização da cidade maravilhosa.
Depois entraram na fria dos Garotinhos e passaram a coroa para o César, aquele que ao invés de ensinar a população do cartão postal que jogar lixo na rua pode ser perigoso para elas próprias, gastou uma fortuna criando um obelisco em Ipanema.
Agora vem o Paes, apelidado por lá de Pasmonha, querer ensinar o que não fez até hoje.
Ou os fluminenses acordam e aprendem a eleger pessoas que gostem mais do estado do que do dinheiro que ele pode proporcionar, ou ficarão eternamente iludidos de que vivem num caos realmente maravilhoso, cercados por montanhas lindas e morros exuberantes.
Mas olha, eles ganharam as olimpíadas, lá tem carnaval e a copa do mundo é deles.

Transcrito: http://vizinhodojefferson.blogger.com

Nenhum comentário: