domingo, 22 de fevereiro de 2009

CAMINHOS

Nos caminhos por onde ando
em trilhas cheias de vida
nos quatro cantos do mundo
nas horas furtivas da noite
vaguei por becos escuros
sem ninguém me encontrar
com tão profunda alegria
como sonhos de uma criança
que espera um mundo melhor
num instante de verdade
que não é capaz de me dar
sufoco meus sentimentos
no aperto de um abraço
navego sem destino certo
esquecendo o passado
e o amor que fica para traz.

© Geraldo de Azevedo

2 comentários:

Efigênia Coutinho disse...

Olá. Hoje vim ler voc6e, e adorei seu poema Caminhos, como é gratificante chegar aqui e poder trilhar dentro da sua poesia, meus cumprimentos ao poeta e amigo Geraldo,
Efigênia

Dulce disse...

Eraldo
Ao chegar aqui, deparei-me com um blog bem interessante, com assuntos e temas variados. Um espaço aonde pretendo voltar muitas outras vezes.

Dulce