sexta-feira, 29 de junho de 2007

HOJE É DIA DE CINEMA




Quase toda segunda feira vou ao cinema, minha grande paixão, sou cinéfilo assumido desde os tempos de garoto quando frequentava as matines de Domingo para assistir filmes de mocinho.Minha memória para guardar nomes de filmes, seja no original como em portugues é prodigiosa, lembro-me até do primeiro filme que assisti, no entanto, esqueço o que almocei ontem... Depois que comecei a trabalhar e namorar e mesmo depois de casado, passei a ir ao cinema com menos frequencia, mas nunca perdia um grande lançamento da Sétima Arte. Após me aposentar passei a ir regularmente quase todas as segundas feiras. Sei que cada um de nós teve uma infância diferente, e como veículo de entretenimento, o Cinema foi e ainda é, um meio de se conhecer e se dedicar a um ídolo, independente das diferenças sociais. por trata-se de uma diversão ainda "barata" em termos financeiros. Com isso, cada fã na sua época, mais especificamente há 40 ou 50 anos atrás, tinha um ou varios "mocinhos" preferidos para acompanhar semanalmente suas aventuras nas matinês de cinema. Os meus eram Gene Autry, Tom Mix, e Rock Lane, mas havia muitos outros como Ken Maynard, Buck Jones, Tim McCoy, William "Bill" Elliott, Tex Ritter, ou ainda o cowboy cantor como Roy Rogers que com Gene Autry se destacaram dos demais. Temos também o mascarado Durango Kid (Charles Starret) que anos depois veio a ser exibido na TV Tupi, todas as tardes.Todos esses fãs tem algo em comum, sentem saudades de Allan "Rocky" Lane.
Nos anos 40 e 50, "Rocky" ficou famoso por suas atuações nos três seriados de faroeste que estrelou na época. A Republic Pictures que era uma das principais produtoras de seriados de cinema, lhe deu papel em "O Rei da Polícia Montada", de 1940 e logo após o sucesso, lhe deram o personagem Red Ryder em 7 filmes, que também já foi estrelado também por Don Barry e Bill Elliott.
Allan Lane era tido como uma pessoa muito exigente, era perfeccionista. Tinha o físico de um atleta, uma boa voz para um cowboy e um estilo um pouco incomum nas montarias de cavalo. Em muitas sequências de ação, dispensava os dublês para deixar as cenas mais realistas com o próprio mocinho, conquistando assim um espaço certo e de honra na galeria dos cowboys das matinês.
Teve ainda mais três participações pequenas em filmes de cinema "Meu Sangue por minha Honra" com Rory Calhoun (da Série de TV, O Texano) em 1958, "Com o Dedo no Gatilho" de 1960, e "Quadrilha do Inferno" de 1961. Já nesses tempos, em um final de carreira melancólico.
Rock Lane e Roy Rogers me proporcionaram matinês de domingo inesquecíves, voltava sempre ao mesmo cinema sem me importar com o filme principal somente para não perder nenhum episódio dos seriados de meus mocinhos prediletos. Adeus Roy Rogers e Allan "rock" Lane, pela diversão sadia e maravilhosa dos meus tempos de garoto.


©Geraldo de Azevedo


Texto publicado no site:
http://www.sonhodigitalbr.com/

Nenhum comentário: